Roda roda do milhão (Segunda lei de Mendel) Por: Bruna Pires

A Segunda Lei de Mendel ou Lei da Segregação Independente baseia-se na transmissão combinada de duas ou mais características. Mendel iniciou os estudos com ervilhas acompanhando a expressão de genes de modo isolado. Esse fato deu origem a Primeira Lei de Mendel.

Posteriormente, Mendel começou a estudar a segregação de dois genes simultaneamente. Por exemplo, ele realizou cruzamentos de sementes verdes e rugosas com sementes amarelas e lisas. O objetivo de Mendel era descobrir se essas características estavam relacionadas, ou seja, uma semente amarela necessariamente precisa ser lisa?

Para responder essa questão, Mendel realizou cruzamentos para analisar a transmissão de características relacionadas a cor e a textura das sementes.Sendo assim, a 2ª Lei de Mendel conclui que os genes de dois ou mais caracteres são transmitidos aos gametas de forma independente. Com essa lei tornou-se possível então compreender porque tem morenos de olhos claros, e loiros de olhos escuros por exemplo. As características estão em cromossomos diferentes e podem ser passadas juntas ou separadamente.


Contextualização para o uso do milho:

A importância do milho vai muito além do que geralmente conhecemos. Quando verdes, os grãos são utilizados para alimentação ao natural (a espiga), ou transformados em curau, canjica, pamonha e outros pratos. Já maduros, servem para a fabricação de fubá, matéria-prima de bolos, pães, broas, polenta e pratos salgados diversos.

Dos grãos de milho também se produzem industrialmente açúcar, óleo, álcool, até mesmo bebidas como o uísque bourbon e cerveja (os estigmas da espiga - chamados cabelo do milho - cozidos, substituem a cevada na fabricação da cerveja). Do caule pode-se produzir explosivos, plásticos, tecidos e borracha sintética entre outros.

A planta originada da gramínea Teosinte, foi domesticada no México, na região do rio Balsa, mas logo espalhou-se pelas populações humanas da América do Sul, devendo ter chegado ao leste do Brasil por volta de 1.500 anos atrás, pelas mãos dos índios Tupi-Guarani. Atualmente há mais de 200 variedades de milho.

Objetivo:

Facilitar o entendimento e compreensão dos mecanismos de segregação independente propostos pela Segunda Lei de Mendel.

Materiais Necessários

  • Velcro
  • EVA
  • Cola quente
  • Caneta de retroprojetor
  • Tesoura

Fase 1 - Caracteres:

A: roxo; B: grande; a: amarelo; b:pequeno.

  • Roxo e grande: AB
  • Roxo e pequeno: Ab
  • Amarelo e grande: aB
  • Amarelo e pequeno: ab

Fase 2 - Instruções do jogo:

  • Dividir a turma em grupos de cerca de 6 pessoas;
  • Cada grupo receberá uma geração parental, representado pelos círculos verde e vermelho e estarão vazios como na imagem acima;
  • Cada grupo receberá também um saco contendo 8 “milhos”. Esses milhos representarão os alelos e deverão ser pregados de forma aleatória nos 4 espaços de cada círculo (geração parental);
  • Com os círculos completos, o grupo deverá escolher um dos dois para ser ficar “fixo” em uma posição, ou seja, por ora ele não será girado;
  • #por exemplo, o círculo verde ficaria parado enquanto o vermelho será girado para gerar as combinações;
  • Assim, com o círculo que pode ser girado eles formariam as combinações, anotando em uma tabela, como a abaixo, o resultado de cada cruzamento

          #O jeito sugerido de rodar o círculo é simplesmente “parear” cada lacuna, com a lacuna mantida do círculo fixo.

  • Após anotar todas as combinações possíveis, o círculo fixo seria girado uma vez, mudando agora a lacuna mantida, para que o círculo móvel seja girado novamente, formando 4 novos cruzamentos;
  • Os passos de combinação deverão ser repetidos até que as 4 lacunas do círculo fixo sejam pareadas com com todas as 4 lacunas do círculo móvel.
  • Ao fim teremos o quadro de Punnet completo com todos os 16 cruzamentos possíveis, seus genótipos e fenótipos. 

Comentários - 0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.