Ciclo de Carnot

O ciclo de Carnot consiste em duas transformações isotérmicas, alternadas com duas transformações adiabáticas. Na transformação isotérmica AB, o gás ideal analisado absorve o calor Qa durante sua expansão. Isolando termicamente o sistema, deixamos que ele continue a expandir. Feito isso, teremos a expansão adiabática BC, em que o gás diminui sua temperatura, que inicialmente era T1 para a temperatura T2. No processo CD o gás sofre uma compressão isotérmica, na qual o gás vai do volume inicial em C para o final D com temperatura constante e liberando o calor Qb para a fonte fria. Em seguida o gás sofre uma compressão adiabática DA retornando para o ponto inicial. O trabalho realizado por essa máquina está representado pela região verde (W) e pode ser expresso por: W = Qa - Qb. O rendimento de uma maquina de carnot é o máximo rendimento possível de uma máquina que opera entre duas temperaturas e é dado pela equação R = 1 - (T2/T1), em que T2 é a temperatura da fonte fria e T1 a temperatura da fonte quente. (Autor: Gianinni Machado Pelizer)

Ciclo de Carnot