Louis de Broglie

Louis-Victor-Pierre-Raymond, 7.º duque de Broglie, geralmente conhecido por Louis de Broglie foi um físico francês. Louis de Broglie estudou inicialmente História, mas com o tempo começou a interessar-se por problemas de Física e Matemática, por influência de seu irmão, Maurice de Broglie 6º duque de Broglie e proeminente físico experimental da época. Maurice de Broglie fez avanços importantes no estudo de difracção e espectroscopia de raios X. Louis de Broglie iniciou seus trabalhos de pesquisa estudando precisamente os raios X, em colaboração com Maurice, mas duma perspectiva teórica. Foi este trabalho que o levou mais tarde a escrever a sua tese de doutoramento "Recherches sur la théorie des quanta". Nesta, de Broglie introduz a sua teoria de ondas de elétrons, que inclui a teoria de dualidade onda-corpúsculo da matéria, baseada na teoria dos quanta proposta por Max Planck e Albert Einstein. Este trabalho abre uma nova área da física, a mecânica ondulatória, que constitui uma das principais bases da Mecânica Quântica. Em 1927, Clinton Davisson e Lester Germer demonstram experimentalmente a difracção de electrões através de cristais. A experiência de Davisson-Germer comprova a hipótese da natureza ondulatória de electrão e em consequência de Broglie recebe o Nobel de Física em 1929 pela teoria da dualidade onda-corpúsculo. Entre as aplicações mais importantes desta teoria destaca-se o desenvolvimento de microscópios electrónicos, que permitem uma resolução muito superior à dos microscópios ópticos. No final da sua carreira, de Broglie, desenvolveu uma explicação causal da mecânica ondulatória, em oposição à visão probabilística que domina a mecânica quântica. Esta explicação causal foi refinada no anos 1950 por David Bohm e é hoje conhecida como interpretação de Bohm. Participou da 5ª e 7ª Conferência de Solvay.

Louis de Broglie